As autoridades italianas ordenaram o encerramento de todos os estabelecimentos comerciais à exceção dos de primeira necessidade, como supermercados ou farmácias, para conter a propagação do novo coronavírus.

"Itália será sempre uma zona única, uma zona protegida. Dispomo-nos encerrar toda a atividade comercial, com exceção dos negócios de primeira necessidade e farmácias", anunciou o primeiro-ministro, Giuseppe Conte, em conferência de imprensa.

Segundo Conte, "não é necessário sair a correr do supermercado depois de fazer as compras”.

Se todos respeitarem estas regras, “o país sairá rapidamente [do estado] de emergência” desencadeado pela doença Covid-19.

A Organização Mundial de Saúde (OMS) declarou hoje a doença Covid-19 como pandemia.

A OMS justifica a declaração de pandemia com "níveis alarmantes de propagação e inação".

A pandemia de Covid-19 foi detetada em dezembro, na China, e já provocou mais de 4.500 mortos em todo o mundo.

O número de infetados ultrapassou as 124 mil pessoas, com casos registados em 120 países e territórios, incluindo Portugal, que tem 59 casos confirmados.

Face ao avanço da pandemia, vários países têm adotado medidas excecionais, incluindo o regime de quarentena inicialmente decretado pela China na zona do surto.

A Itália é o caso mais grave depois da China, com mais de 12.000 infetados e pelo menos 827 mortos, o que levou o Governo a decretar a quarentena em todo o país.

/ RL