A pandemia do novo coronavírus matou pelo menos 35.000 pessoas em todo o mundo, incluindo quase três quartos na Europa, desde que em dezembro apareceu na China, segundo um balanço feito esta segunda-feira pela agência AFP, com dados de fontes oficiais dos países.

De acordo com os dados recolhidos pela agência noticiosa francesa, às 16:15 de hoje foram registadas 35.905 mortes, incluindo 26.076 na Europa, atualmente o continente mais afetado.

Com 11.591 mortes, a Itália é o país com mais mortes no mundo, seguida pela Espanha (7.340) e China (3.304), o foco inicial do contágio.

Mais de 740.000 casos de infeção foram oficialmente diagnosticados em 183 países e territórios, incluindo pelo menos 408.203 na Europa, quase 150.000 nos Estados Unidos e Canadá (2.635 mortes entre eles) e 106.609 na Ásia (3.827 mortes).

A AFP alerta, no entanto, que o número de casos diagnosticados reflete apenas uma fração do número real de infeções, já que um grande número de países está atualmente a testar os casos mais graves.

 Em Portugal, segundo o balanço feito pela Direção-Geral da Saúde, registaram-se 140 mortes, mais 21 do que na véspera (+17,6%), e 6.408 casos de infeções confirmadas, o que representa um aumento de 446 em relação a domingo (+7,5%).

Dos infetados, 571 estão internados, 164 dos quais em unidades de cuidados intensivos, e há 43 doentes que já recuperaram.

/ AG