Milhares de pessoas foram vítimas de um esquema elaborado e abrangente que envolvia a venda de vacinas falsas contra o coronavírus na Índia, com médicos e profissionais de saúde entre os detidos.  

Pelo menos 12 campanhas de vacinação falsas foram realizadas perto do centro financeiro de Mumbai, no estado de Maharashtra, no oeste do país, disse Vishal Thakur, um alto funcionário do departamento de polícia de Mumbai.

“Estavam a usar água salina e injetando-a”, disse Thakur. "Em todos os campos de vacinação falsos que eles realizaram, estavam a fazer isso."

Estima-se que 2.500 pessoas receberam injeções falsas. Os organizadores cobraram taxas pelas inoculações, lucrando em pelo menos 28 mil euros.  

“Prendemos médicos”, acrescentou. "Eles estavam a usar um hospital que estava a produzir certificados, frascos e seringas falsas."

Até agora, 14 pessoas foram detidas sob suspeita de tentativa de homicídio, conspiração criminosa e outras acusações. Mais detenções podem ocorrer enquanto a polícia continua a investigar outras pessoas envolvidas no golpe.

A Índia foi devastada por uma segunda onda da pandemia entre abril e o início de junho, que infetou milhões e matou dezenas de milhares em todo o país. Após o pico em maio, os casos diários diminuíram lentamente, aliviando a pressão sobre o já tenso sistema médico.