O balanço de mortos na China devido ao surto de Covid-19 ultrapassou a barreira das três mil pessoas, com 31 novas vítimas mortais registadas nas últimas 24 horas, anunciaram as autoridades chinesas.

Desde que foi inicialmente detetado, no final do ano passado, no centro da China, o país registou 3.012 mortes pelo novo coronavírus.

Até à meia-noite de quinta-feira (16:00 horas de quarta-feira, em Lisboa), foram também confirmadas 139 novas infeções, um pouco mais do que na véspera (119), para um total de 80.409 casos confirmados, segundo a Comissão Nacional de Saúde do país.

Todas as novas mortes foram registadas na província de Hubei, epicentro do surto, e onde foram reportados 134 dos 139 novos casos. Várias cidades da província foram colocadas sob quarentena, em janeiro passado, com entradas e saídas bloqueadas.

Até à data, Hubei reportou 2.902 mortes e 67.466 casos confirmados de infeção, a maioria em Wuhan, capital da província.

A Comissão Nacional de Saúde da China informou ainda que, no mesmo período de 24 horas, 2.189 pessoas receberam alta após superarem a doença.

Segundo os dados oficiais, 52.045 pacientes receberam alta desde o início do surto e 669.025 pessoas que tiveram contacto próximo com pacientes foram acompanhadas, entre as quais 32.870 permanecem sob observação.

Nas últimas 24 horas surgiram mais 143 novos casos classificados como suspeitos por terem estado em contacto próximo com os infetados, fixando o total em 522.

A mesma fonte detalhou que há 20 casos confirmados "importados" de fora, sobretudo oriundos de Itália e do Irão, que registaram na última semana um rápido aumento no número de casos.

Uma das prioridades das autoridades chinesas é agora "protegerem-se contra a importação" de infecções de outros países.

O surto de Covid-19, que pode causar infeções respiratórias como pneumonia, provocou mais de 3.200 mortos e infetou mais de 93 mil pessoas em 78 países, incluindo seis em Portugal.

Além dos 3.012 mortos na China Continental, há registo de vítimas mortais no Irão, Itália, Coreia do Sul, Japão, França, Hong Kong, Taiwan, Austrália, Tailândia, Estados Unidos da América e Filipinas.

A Organização Mundial de Saúde (OMS) declarou o surto de Covid-19 como uma emergência de saúde pública internacional e aumentou o risco para "muito elevado".

/ SS