Li Liang, de 36 anos, deu entrada no dia 12 de fevereiro num hospital da China por estar infetado com coronavírus. De acordo com o jornal South China Morning Post, depois de passar duas semanas internado, os médicos deram-lhe alta com a condição de permanecer em quarentena durante 14 dias.

Mas, ao fim de dois dias, Li Liang voltou a sentir sintomas - entre os quais dificuldade em respirar - e, no dia 2 de março, voltou para o hospital onde tinha estado internado e onde viria a falecer no mesmo dia.

No relatório da autópsia, emitido pela comissão de saúde de Wuhan, é indicado que a causa direta da morte do paciente foi o novo coronavírus. 

O surto de Covid-19, que pode causar infeções respiratórias como pneumonia, provocou mais de 3.200 mortos e infetou mais de 93 mil pessoas em 78 países, incluindo oito em Portugal.

Além dos 3.012 mortos na China Continental, há registo de vítimas mortais no Irão, Itália, Coreia do Sul, Japão, França, Hong Kong, Taiwan, Austrália, Tailândia, Estados Unidos e Filipinas.

A Organização Mundial de Saúde (OMS) declarou o surto de Covid-19 como uma emergência de saúde pública internacional e aumentou o risco para "muito elevado".

/ AM