Aos 54 anos, a espanhola Pura Machancoses já foi diagnosticada com três cancros. Em 2007 ficou a saber que tinha um cancro no útero. Mais tarde, um outro cancro, dessa vez na mama. Em 2016 foi a vez de aparecer uma metástase óssea.

Apesar de ainda estar em tratamentos oncológicos, a assistente afirma que quer continuar a trabalhar, sobretudo numa altura em que toda a ajuda médica é pouca, devido à pandemia Covid-19.

Estou onde tenho de estar", afirma, citada pelo El País.

Ainda que com algumas limitações, continua a trabalhar no hospital La Fe, em Valência, onde as tarefas que desempenha a fazem esquecer das dores que tem.

Adoro o meu trabalho. Sou apenas uma cuidadora mas transportar um paciente e ajudá-lo, deixa-me preenchida", acrescenta.

Pura Machancoses trabalha como assistente de médicos e enfermeiros na área de triagem, sendo uma das pessoas responsáveis por receber os pacientes que chegam à área das urgências. A sua profissão consiste ainda no acompanhamento de todos os doentes, nomeadamente na passagem dos mesmos para as unidades de cuidados intensivos.

Demonstrou a sua indignação com o facto de a sua profissão não ser considerada de alto risco pelas autoridades espanholas, uma vez que está em constante contacto com vários doentes infetados.

Espanha é, atualmente, o segundo país mais afetado pelo novo coronavírus, apenas atrás de Itália. Regista quase cinco mil mortos e mais de 60 mil casos confirmados.

/ AG