Uma mulher de Singapura, que foi infetada pelo novo coronavírus em março quando estava grávida, deu este mês à luz um bebé munido de anticorpos contra a covid-19.

A descoberta traça um novo retrato sobre a possibilidade da transmissão do vírus no ventre. O bebé nasceu no início de novembro sem estar infetado com o novo coronavírus, mas registou dentro de si anticorpos contra a doença, revelou este domingo o jornal The Straits Times.

O meu médico suspeita que transferi os meus anticorpos contra a covid-19 para o meu filho durante a gravidez”, disse Celine Ng-Chan ao jornal.

A mulher, internada com sintomas ligeiros, não registou um agravamento da doença e foi-lhe dada alta após duas semanas e meia hospitalizada no Hospital Universitário Nacional de Singapura.

Ng-Chan afirma que a sua gravidez foi “dramática”, sublinhando que ela, a mãe e a irmã contraíram infeções por covid-19 após uma viagem de turismo à Europa, em março. O marido e o pai, que também estiveram na viagem, escaparam à infeção.

A Organização Mundial de Saúde afirma que ainda não se sabe se uma mulher grávida com covid-19 pode transmitir o vírus ao feto durante a gravidez, ou durante o parto.

Até ao momento, o vírus ainda não foi encontrado em amostras de fluídos que envolvem o bebé no útero. Na mesma linha, ainda não foi detetada qualquer presença viral em leite materno.

O caso de Ng-Chan não é único no mundo. Em outubro, foi detetada a presença de anticorpos contra a covid-19 num recém-nascido no Hospital Universitário San Jorge de Huesca, em Espanha, durante a realização de um teste serológico.

Segundo o município de Aragão, o bebé realizou o teste PCR por suspeitas da família de que a criança pudesse estar infetada com o novo coronavírus. Após o prazo de 48 horas, a criança não só testou negativo, como foi anunciado que o bebé nasceu com anticorpos contra o vírus.