Itália pode receber já no final de novembro as primeiras doses da potencial vacina contra a covid-19 desenvolvida no Reino Unido pela farmacêutica AstraZeneca.

Segundo a empresa britânica IRBM, que trabalha num laboratório no Sul de Roma e que colabora com a farmacêutica, "é possível que as primeiras doses da vacina cheguem a Itália no final de novembro". 

Porém, esta meta temporal só poderá ser atingida caso as fases de teste "continuem como planeado e a vacina seja autorizada", explicou Matteo Liguori, diretor da IRBM, à Reuters.

O ministro da Saúde italiano já tinha comentado a possibilidade de uma vacina chegar ao país ainda em 2020.

A Itália registou 1.452 novas infeções de covid-19 nas últimas 24 horas, um número superior aos 1.229 de terça-feira, mas mais de 100.000 testes foram realizados, em comparação com 80.000 do dia anterior, segundo o Ministério da Saúde.

No último dia, houve 12 mortes, em comparação com as nove de terça-feira.

Com os novos dados, o número total de casos no país desde o início da emergência sanitária, a 21 de fevereiro, é de 291.442 e os óbitos de 35.645.