O Papa Francisco alertou este domingo que o rumor é uma "praga pior que a covid" que visa dividir a Igreja Católica.

O papa desviou-se do texto que tinha preparado para reforçar as suas queixas sobre os frequentes rumores dentro das comunidades da igreja e até mesmo dentro da burocracia do Vaticano.

Francisco não adiantou pormenores sobre o assunto durante a sua bênção semanal, hoje, no Vaticano, mas alertou que o diabo é o "maior intriguista" que tenta dividir a igreja com as suas mentiras.

Por favor, irmãos e irmãs, vamos tentar não criar mexericos", disse Francisco, observando que "o rumor é uma praga pior do que a covid".

"Vamos fazer um grande esforço" nesse sentido, acrescentou.

Estes comentários surgiram quando o papa referiu uma passagem do Evangelho sobre a necessidade de corrigir os outros, em particular quando eles fazem algo errado.

A hierarquia católica tem confiado nessa "correção fraternal" entre padres e bispos para os redimir quando cometem erros e infrações sem os divulgar publicamente.

Sobreviventes de abuso sexual no seio na Igreja Católica denunciaram que essa forma de reprimenda privada permitiu que o abuso infestasse a igreja, permitindo que padres predadores sexuais e os superiores, que encobriram a situação, escapassem da punição.

/ AG