A vacina russa Sputnik V é 92% eficaz a combater a covid-19, informou esta quarta-feira o Fundo de Investimento Direto da Rússia, num momento em que Moscovo tenta acompanhar o Ocidente na corrida à vacinação.

Esta foi a segunda vez que as autoridades de saúde russas divulgaram resultados sobre a vacina que está na fase final final de testes e cuja produção pode travar uma pandemia que já fez mais de 1.2 milhões de mortos e arrasou com economias por todas as partes do globo.

A Rússia foi o primeiro país a registar uma vacina contra a covid-19 para uso público, em agosto, ainda que a aprovação científica tenha sido garantida antes do país conduzir testes em larga escala.

Os dados mostram-nos que temos uma vacina muito eficiente”, disse o diretor do Fundo, Kirill Dmitriev, sublinhando que os cientistas vão ficar orgulhosos de um dia falar com os netos sobre este feito.

Os resultados divulgados esta quarta-feira baseiam-se em dados de 16 mil voluntários que receberam a vacina.

Dmitiev avançou que espera a produção de 1,5 milhões de doses até ao final de dezembro. Em 2021, o Fundo de Investimento Direto acredita que, mensalmente, sejam produzidas entre 5 e 6 milhões de doses na Rússia.

Os ensaios clínicos da vacina vão continuar por mais seis meses, sendo que a metodologia científica será publicada na revista Lancet nas próximas duas semanas.