A Alemanha registou, nas últimas 24 horas, 286 mortes e 23.392 novos casos de covid-19, segundo os últimos dados do Instituto Robert Koch de virologia.

Há precisamente uma semana tinham sido registadas 219 mortes e 23.804 contágios.

A incidência acumulada em sete dias situou-se em 164,4 casos por 100.000 habitantes, ligeiramente acima do registado na sexta-feira, 164 casos.

Há uma semana, a incidência semanal era de 160,7 contágios por 100.000 habitantes, superior à registada há um mês que era de 124,9 por 100.000 habitantes.

Desde o início da pandemia foram registadas na Alemanha 3.268.645 casos de infeção e reportadas 81.444 mortes, enquanto 2.882.300 recuperaram da doença.

O índice de transmissibilidade da doença (RT) situou-se em 1,08, indicando que 100 pessoas infetadas contagiam em média 108 pessoas.

Índia classificada como zona de alto risco a partir de domingo

A Alemanha vai considerar a Índia como zona de alto risco a partir de domingo, devido ao crescente número de casos de uma nova variante do SARS-CoV-2 altamente contagiosa detetados naquele território.

Para não comprometer a nossa campanha de vacinação, temos de reduzir significativamente o tráfego de viajantes com a Índia”, anunciou hoje o ministro alemão da Saúde, Jens Spahn, em entrevista ao grupo de meios de comunicação Funke.

A Índia bateu hoje um novo recorde diário de mortes atribuídas à covid-19, enquanto o governo se esforça para tentar fornecer oxigénio aos hospitais, sobrecarregados por centenas de milhares de novos casos.

As filas de doentes com covid-19 e os seus familiares preocupados estendem-se em frente aos hospitais das principais cidades do país, onde quase um milhão de novos casos foram identificados nos últimos três dias.

Nas últimas 24 horas foram registadas 2.624 mortes associadas à doença, um novo recorde que eleva o total de óbitos registados oficialmente desde o início da pandemia para cerca de 190 mil, neste país de 1,3 mil milhões de habitantes.

Mais de 340 mil novos casos também foram identificados nas últimas 24 horas, elevando o total para 16,5 milhões no país, colocando-o em segundo lugar atrás dos Estados Unidos, o país mais afetado do planeta.

No entanto, especialistas acreditam que os números podem ser maiores e atribuem a nova vaga a uma "dupla mutação" do vírus e a eventos de massas, como o feriado religioso hindu 'Khumb Mela', que reuniu milhões de peregrinos.

/ CM