O governo de Madrid teme uma quarta vaga de covid-19, depois de um recorde de 442 festas ilegais durante o fim de semana, só na capital, alertou, nesta terça-feira, o vice-presidente Ignacio Aguado.

As festas ilegais ocorrem em casas particulares ou espaços de diversão que deveriam estar encerrados, devido às medidas restritivas de controlo da pandemia.

Preocupa-nos que uma minoria possa arruinar os esforços de todos os madrilenos e promova o surgimento de uma quarta onda", afirmou Aguado, em declarações à agência de notícias EFE, que pede ajuda ao governo central para "dar uma mão" à comunidade no combate às festas ilegais.

Numa das festas, a polícia encontrou, inclusive, um bebé de cinco meses num carrinho, acompanhado pela sua mãe, e noutra teve de salvar uma jovem caída sobre uma antena parabólica no terceiro andar de um prédio.

O aumento do número de festas ilegais em Madrid ocorre num momento particularmente importante de controlo da terceira vaga, que começa a ceder, com menos casos diários, menos óbitos e menos internamentos.

Madrid continua a ser uma das regiões mais afetadas de Espanha, com 284,58 casos por 100 mil habitantes nos últimos 14 dias, muito acima da média nacional de 175,63, segundo dados dos ministério da saúde, citados pelo jornal El Mundo.

Foi na madrugada de sábado que a Polícia Municipal de Madrid resgatou uma jovem de 20 anos caída sobre uma antena parabólica no terceiro andar de um prédio, depois de participar numa festa no piso de cima.

Não são, ainda, conhecidas as causas da queda, apesar de confirmado o consumo de álcool e droga, mas um agente teve de socorrer a jovem, acedendo à varanda pela casa de um vizinho e imobilizando a vítima até à chegada dos bombeiros.

Catarina Machado