O Reino Unido registou, nas últimas 24 horas, 964 mortes e 55.892 novos casos de covid-19, divulgou hoje o Ministério da Saúde britânico, que decretou a reativação de um hospital de campanha em Londres.

Na quarta-feira tinham sido registadas 981 óbitos, mais do dobro do notificado na véspera, e 50.023 casos positivos.

Desde o início da pandemia, foram contabilizadas 73.512 mortes e 2.488.780 casos. 

O crescente afluxo de pacientes aos hospitais levou o Serviço de Saúde britânico (NHS) a anunciar a reativação do hospital de campanha gigante criado num centro de exposições em Londres no início de abril, durante a primeira vaga da pandemia.

Os hospitais de Londres estão sob pressão significativa devido às altas taxas de infeção por coronavírus", justificou um porta-voz do NHS.

Construído com o apoio do Exército, tinha capacidade inicial de até 4.000 camas, o equivalente a dez hospitais convencionais, mas serviu relativamente pouco, em parte devido à falta de profissionais disponíveis.

Outros hospitais de campanha, chamados Nightingale, em homenagem a uma famosa enfermeira britânica, foram estabelecidos no resto do país e aqueles em Manchester e Harrogate (norte da Inglaterra) e Bristol (sudoeste) estão atualmente a ser usados para pacientes não covid.

Desde hoje que cerca de 80% da população em Inglaterra está em confinamento para tentar travar a rápida propagação do vírus, agravada por uma estirpe do SARS-Cov-2 considerada mais infecciosa. 

O nível 4, o mais alto da atual escala de restrições, recomenda os residentes a ficar em casa, exceto para comprar comida, trabalhar, estudar ou fazer exercício, e determina o encerramento da maioria do comércio, nomeadamente lojas não essenciais, bares e restaurantes, salvo se estes venderem para fora, cinemas, teatros e hotéis.

O último relatório da direção geral de Saúde de Inglaterra (Public Health England) publicado hoje indica que as taxas de casos de covid-19 continuam a aumentar em todas as regiões, com destaque para Londres, que subiu para 735.5 casos por 100.000 habitantes nos sete dias até 27 de dezembro.

O leste da Inglaterra teve a segunda maior taxa (551,3 casos por 100.000 habitantes), seguido pelo sudeste da Inglaterra (450,6 casos) e Yorkshire e Humber (nordeste) tiveram a taxa mais baixa, 188,3 casos por 100.000 habitantes.

O ministro da Educação, Gavin Williamson anunciou na quarta-feira um regresso faseado às aulas a partir da próxima semana, mantendo algumas escolas fechadas em zonas com um nível elevado de infeções. 

/ CM