A China reportou esta terça-feira sete novos casos de infeção pelo coronavírus entre passageiros oriundos de Itália, aumentando a possibilidade de novo surto no país asiático, de onde o vírus é originário, por importação de casos.

Os infetados foram detetados na província de Zhejiang, leste da China, entre cidadãos chineses que regressaram de Itália na semana passada, informaram as autoridades locais.

Zhejiang, uma das mais prósperas províncias chinesas, é a terra natal da maioria dos chineses radicados no sul da Europa, incluindo em Portugal.

Um dos infetados trabalha em Bérgamo, no nordeste da cidade italiana de Milão, no mesmo restaurante onde uma empregada de mesa deu positivo na segunda-feira, detalharam as autoridades do país asiático.

As outras seis pessoas infetadas trabalham também na indústria alimentar.

Estes novos casos de pessoas que regressaram do exterior aumentam o medo de uma recontaminação no país onde a doença foi inicialmente reportada, no final do ano passado.

Segundo o jornal oficial em língua inglesa China Daily, outros cinco novos casos de infeção foram detetados nos últimos dias entre pessoas que regressaram do Irão e do Reino Unido.

O número de mortos e de novos casos de infeção pelo coronavírus Covid-19 na China continental continuou hoje a abrandar, aumentando 31 e 125, respetivamente, informou a Comissão Nacional de Saúde do país asiático.

Segundo os dados atualizados,a doença fez menos 11 mortos e 77 infetados do que no dia anterior.

No entanto, o número de novas infeções tem aumentado além-fronteiras, sobretudo em Itália, que concentra o maior número de vítimas na Europa, ou na Coreia do Sul, país vizinho da China.

Itália reportou já 2.036 casos positivos e 50 mortes. O país dividiu o território em três zonas por nível de gravidade da epidemia, incluindo a "zona vermelha", que foi colocada em quarentena, e que abrange 11 municípios no norte do país, afetando mais de 50.000 habitantes.

As regiões mais afetadas pela epidemia são Lombardia, com 1.077 casos, Emília-Romanha, com 324, e Véneto, com 271 casos.

A nível mundial, o surto de Covid-19, que pode causar infeções respiratórias como pneumonia, provocou mais de 3.000 mortos e infetou quase 90 mil pessoas em 67 países, incluindo duas em Portugal.

Mais de 90% dos casos foram reportados na China, sobretudo na província de Hubei, onde várias cidades foram colocadas sob quarentena, com entradas e saídas bloqueadas.

A Organização Mundial de Saúde (OMS) declarou o surto de Covid-19 como uma emergência de saúde pública internacional e aumentou o risco para "muito elevado".

/ SS