O número de mortos na China continental devido ao coronavírus Covid-19 aumentou em 42, suvindo para 2.912. O país registou 202 novos casos de infeção, fixando o total em 80.026.

Segundo os dados atualizados pela Comissão Nacional de Saúde da China, até à meia-noite de hoje, os 42 mortos foram registados na província de Hubei, epicentro da epidemia.

Hubei, onde várias cidades foram colocadas sob quarentena, com entradas e saídas bloqueadas, numa medida que afeta quase 60 milhões de pessoas, regista, no total, mais de 67.100 casos e 2.803 mortos.

Das últimas 42 mortes em Hubei, 32 ocorreram em Wuhan, capital da província e de onde o vírus é originário.

A Comissão Nacional de Saúde da China informou ainda que mais 2.837 pessoas receberam alta, após terem superado a doença, nas últimas 24 horas.

No total, 44.462 pessoas já receberam alta na China após superarem a doença.

Nas últimas 24 horas, surgiram no país asiático 715 novos casos suspeitos, de pessoas que tiveram contacto próximo com os infetados.

A prioridade do governo chinês é agora "proteger contra a importação" de infeções oriundas de outros países, após vários dias consecutivos em que se registaram mais casos novos de Covid-19 fora da China do que dentro do país.

Além dos mortos na China continental, há registo de vítimas mortais no Irão, Coreia do Sul, Itália, Japão, Filipinas, França, Hong Kong, Taiwan e Estados Unidos da América.

 

Mais de 4.000 infetados na Coreia do Sul, 476 novos casos em 24 horas

A Coreia do Sul é um dos países mais afetados pelo novo coronavírus. As autoridades de saúde sul-coreanas anunciaram esta segunda-feira 476 novos casos de contaminação pelo Covid-19, elevando para 4.212 o total de pessoas infetadas no país, onde já morreram 22 pessoas.

O último balanço das autoridades sul-coreanas apontava para 17 mortos na Coreia do Sul.

Quase 90% dos novos casos foram registados em Daegu, no centro da Coreia do Sul e na província vizinha de Gyeongsang do Norte, de acordo com o Centro de Controlo e Prevenção de Doenças Contagiosas.

O número de casos disparou nos últimos dias na Coreia do Sul devido, em especial, a uma intensa campanha de triagem, depois de o país declarar o nível máximo de alerta face ao rápido aumento de casos detetados.

A Organização Mundial de Saúde (OMS) declarou o surto de Covid-19 como uma emergência de saúde pública internacional e aumentou o risco para "muito elevado".

/ SS - atualizada às 07:48