Com o encerramento de todo o tipo de serviços nos Estados Unidos (EUA), dezenas de milhões de trabalhadores no país estão em risco de perder o emprego. E rapidamente.

Estimativas citadas pelo site de notícias Vox apontam, a curto prazo, para mais de 35 milhões de empregos de baixa remuneração - rendimento médio abaixo dos 800 dólares - como estando em risco. Ou seja, os impactos económicos da pandemia do novo coronavírus vão afetar de maneira mais severa e mais rápida o trabalhador americano mais vulnerável. Em causa estão empregos na restauração, no retalho, na indústria automóvel, no turismo ou ainda no setor imobiliário.

Também citada pelo Vox, uma nota de economistas da Morgan Stanley divulgada este domingo estima que a taxa de desemprego venha a fixar-se perto dos 13% no segundo trimestre do ano - quase quatro vezes mais do que o valor registado em fevereiro passado.

Democratas e Republicanos já sinalizaram estar perto de um acordo para aprovar, ainda hoje, um gigantesco pacote de estímulos à economia, depois de duas votações falhadas no Senado. Um dos principais entraves prendia-se com a falta de supervisão de quase 500 mil milhões de dólares, destinados a empréstimos e apoios às empresas. Os Democratas queriam garantias de que essas verbas seriam efectivamente utilizadas para pagar salários e manter postos de trabalho.

João Póvoa Marinheiro