O ator Tom Hanks acredita que o esforço para impedir a propagação do novo coronavírus precisa de um espírito coletivo semelhante ao que se viveu na Segunda Guerra Mundial.

“A ideia é simples. Faa a sua parte. Use uma máscara, pratique a distância social, lave as mãos”, disse Tom Hanks, na sua primeira entrevista televisiva após ter recuperado da infeção pelo novo coronavírus.

“Isso, por si só, já significa que cada um está a contribuir para melhorar o seu local de trabalho, a sua cidade, a sociedade como um todo. Para mim, é um mistério como é que este tipo de coisas, que deviam estar enraizadas, se perderam”, sublinhou.

"Nem tudo o que digo tem que estar ligado, de alguma forma, ao esforço que foi feito durante a Segunda Guerra Mundial, mas na altura havia uma sensibilidade que permeava toda a sociedade e nisso estamos juntos", sublinhou.

Hanks e a sua mulher, Wilson, anunciaram no dia 11 de março que tinham testado positivo para a Covid-19, tornando-se nas primeiras celebridades a partilhar que tinham sido diagnosticadas com a doença que já matou mais de meio milhão de pessoas em todo o mundo.

“Penso que a grande maioria dos americanos entende o que quero dizer. Não há lei contra a ignorância. Não vamos confundir factos, isto está a matar muita gente. Eu não sei como é que o senso comum tem, de alguma forma, questionado isso”, disse o ator.

O ator de 63 anos publicou no seu Instagram, em maro, que ele e a sua esposa tiveram sintomas associados ao novo coronavírus incluindo cansaço, febre e dores no corpo, enquanto estavam na Austrália.

 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 

Plasmatic on 3! 1,2,3 PLASMATIC! Hanx

Uma publicação partilhada por Tom Hanks (@tomhanks) a

 
Lara Ferin