Quase 200 holandeses tiveram ordem de soltura do confinamento para se fecharem num resort grego durante oito dias, numa iniciativa para testar se é possível realizar férias seguras durante a pandemia de covid-19.

Ainda que não possam sair do resort, pelo preço de 399 euros, os participantes vão ter acesso a piscinas, restaurantes e outros estabelecimentos de lazer no hotel Mitsis Grand Beach, na ilha grega de Rhodes.

Estas férias-teste implicam que os turistas aceitem somente observar o mar, ou apanhar sol na varanda, ou no terraço do hotel, onde serão os únicos hóspedes.

Eu gosto muito de ficar longe do meu espaço habitual e se isso significar não sair do hotel, terei que viver com isso, mas tudo bem”, disse a designer gráfica Amy Smulders à Reuters antes de partir para a viagem com a sua irmã. “Há sol e isso é o mais importante”.
 

No hotel, os hóspedes têm de manter uma distância de pelo menos 1,5 metros e enfrentar vários testes de despiste à covid-19 antes, durante e depois da viagem. 

Veja o interior deste luxuoso hotel neste vídeo.

 

 

Os turistas vão ter ainda de ficar de quarentena por pelo menos 5 dias após o retorno aos Países Baixos.

Apesar das restrições, a procura pela experiência foi alta, com cerca de 25 mil pessoas a inscreverem-se em março, na esperança de conseguir um lugar.

A operadora de turismo holandesa Sunweb, que organizou a viagem apoiada pelo governo, espera que a experiência mostre que as pessoas ainda podem desfrutar das férias, mesmo com regimes de segurança rígidos.

Para a indústria do turismo, é extremamente importante. Não acho que muitas empresas sobreviverão a outro verão sem viajar ”, disse o presidente-executivo da Sunweb, Mattijs ten Brink, sublinhando que este é o caminho para a reabertura do turismo.
 

Confinar os viajantes em hotéis de luxo, no entanto, não deverá ser uma solução a longo prazo, acrescentou o presidente. "Mas temos de recomeçar algures. O próximo teste provavelmente incluirá a possibilidade de deixar o resort, de forma controlada”, rematou.