As autoridades iranianas atualizaram esta terça-feira para 15 o número de mortos resultantes do novo coronavírus Covid-19 no país, reportou a agência oficial IRNA.

A IRNA acrescenta que duas das vítimas eram duas idosas da província central de Markazi e a terceira vivia na província de Alborz, norte do Irão.

O anterior total oficial, anunciado segunda-feira, era de 12 mortos e 61 casos confirmados.

Este total foi contestado também na segunda-feira pelo deputado ultraconservador Ahmad Amirabadi Farahani, eleito pela província de Qom, em cuja capital, a cidade santa com o mesmo nome, foram referenciados, em 19 de fevereiro, os primeiros casos mortais do novo coronavírus.

Ahmad Amirabadi Farahani revelou à imprensa, à margem deu uma reunião do parlamento à porta fechada para debater a situação epidemiológica no país, que o número de mortos se elevava a 50 na cidade santa, situada 140 quilómetros a sul de Teerão.

Nas mesmas declarações, o deputado acusava o Ministério da Saúde de “mentir ao povo”.

O Ministério da Saúde negou horas depois “categoricamente” os números referidos por Farahani, reafirmando que até ao momento só estavam registadas 12 mortes em todo o país.

Nego categoricamente essa informação” disse à imprensa o vice-ministro da Saúde, Iraj Harirtchi, sobre a informação avançada pelo deputado.

 

Peço ao nosso irmão que declara esse número de 50 mortos que nos forneça a lista dos respetivos nomes. Se os mortos em Qom forem metade ou um quarto desse número, demito-me”, assegurou o vice-ministro da Saúde.

 

Comprometemo-nos a ser transparentes na publicação dos números. Anunciaremos todos os números relativos às mortes no conjunto do país”, disse por seu lado o porta-voz do governo, Ali Rabii.

Noutro despacho, a IRNA informou hoje ainda que a oitava reunião da Assembleia de Peritos, um dos órgãos de tutela político-religiosa do país, foi cancelada como medida de precaução relativamente ao surto epidémico.

Citado pela agência oficial iraniana, o Secretariado da Assembleia de Peritos anunciou que a reunião, prevista para os dias 3 e 4 de março foi adiada para data a marcar.

A Assembleia de Peritos integra 44 clérigos designados pelo Guia Supremo, 'ayatollah' Ali Khamenei e é o órgão constitucional que tem estabelece jurisprudência religiosa no Irão.

Emirados Árabes Unidos suspende todos os voos de e para o Irão

Os Emirados Árabes Unidos suspenderam esta terça-feira todos os voos de e para o Irão pelo prazo renovável de uma semana na sequência da propagação do coronavírus para diversos países do Golfo, segundo a agência oficial WAM.

A Autoridade Geral da Aviação Civil dos Emirados, que tomou a decisão, afirma que esta surge no âmbito das medidas de precaução tomadas pelo país para fazer face ao novo coronavírus e inclui "todos os voos de passageiros bem como os aviões de cargas".

À exceção da Arábia Saudita e do Qatar, países do lado contrário do Golfo registaram 31 casos de infeção com o Covid-19.

Apesar das tensas relações políticas, o Irão e os Emirados Árabes Unidos são importantes parceiros económicos, em particular o Dubai, onde se localiza o maior centro de aeroportos do mundo para passageiros estrangeiros.

Os Emirados Árabes Unidos registaram 13 casos de pessoas infetadas pelo vírus, três das quais se recuperaram. Os dois casos mais recentes de infeção são os de dois cidadãos iranianos com idades de 70 e 64 anos.

/ CE - Notícia atualizada às 11:26