Este é, no mínimo, um caso insólito. O jornalista Liam Thorp foi incluído num grupo prioritário de vacinação sem motivo aparente, mas quando descobriu o porquê não queria acreditar.

Quando recebi uma mensagem a dizer que estava na hora da minha primeira vacina contra a covid-19 fiquei surpreendido. Tenho 32 anos, não tenho nenhum problema de saúde e, embora pudesse ser considerado corpulento, estava longe de integrar o grupo de pessoas obesas", começou por explicar em entrevista ao Liverpool Echo.

Liam conta que, apesar de ter estranhado a situação, marcou uma consulta.

Questionando o facto de estar inserido num grupo prioritário, chegaram à conclusão que os dados que constavam no formulário, e que tinham sido cruzados pelo computador, estavam errados. Desde logo na altura, em vez de 1,88 metros estava escrito que tinha apenas 6,2 centímetros de altura, o que revelava uma massa corporal elevadíssima, motivo pelo qual fazia parte do grupo prioritário.

O que se seguiu foi um dos telefonemas mais bizarros da minha vida. Um indivíduo, que parecia nervoso, começou por me explicar que tinha havido uma confusão. Ele disse que, infelizmente, os dados tinham sido colocados erradamente no sistema. Pediu-me desculpa e disse que não levaria a vacina tão cedo", contou.

 

O homem respirou fundo e tentou manter a compostura enquanto me informava que, em vez de ter a minha altura registada corretamente, foi colocada no sistema uma altura de 6,2 centímetros, combinada com um Índice de Massa Corporal de 28.000".

Redação