Mateo tem 10 anos e foi um dos raros casos de covid-19 com sintomatologia agravada em crianças. A história do menor acabou por ter um final feliz, mas não sem antes comover Espanha.

No total, Mateo esteve internado 18 dias, 11 dos quais na unidade de cuidados intensivos do Hospital Centro de Alcázer de San Juan, na Ciudad Real.

O caso desta criança ganhou particular destaque na imprensa espanhola depois de um dos enfermeiros ter publicado uma foto ao lado de Mateo nas redes sociais.

Mateo recebeu alta hospitalar, na última sexta-feira, e foi surpreendido pelos aplausos da equipa médica que o tratou à saída do hospital. Durante a despedida emotiva, os profissionais de saúde ofereceram ainda vários presentes ao rapaz.

O diretor clínico do Hospital Centro de Alcázer de San Juan, Lucas Salcedo, destacou a recuperação de Mateo e congratulou a família do menino pelo “combate exemplar contra o vírus” e por “não terem deitado a toalha ao chão, mesmo nos momentos mais complicados”. O responsável hospitalar elogiou ainda o esforço e dedicação de todos os profissionais envolvidos no caso.

Aqueles que trataram de ti [Mateo] têm agora a sensação de que cumpriram o seu dever e de que te deram afeto durante todo este processo”, refere Lucas Salcedo.

A diretora da ala pediátrica do hospital, Ana Muñoz, realçou que experiências como a de Mateo “devem servir para nos relembrar que as crianças e os jovens também estão suscetíveis a contrair covid-19 e que, em alguns casos, podem ter complicações severas”. Ainda assim, a médica esclarece que os mais jovens têm usualmente um melhor prognóstico do que os adultos e que, por norma, recuperam mais depressa.

Nuno Mandeiro