O Papa Francisco defendeu esta quarta-feira que vacinar-se contra a covid-19 é um "ato de amor" para proteger os mais frágeis, numa campanha para promover a vacinação, com representantes da Igreja Católica na América Latina, incluindo do Brasil.

Vacinar-se é uma forma simples mas profunda de promover o bem comum e de cuidarmos uns dos outros, especialmente dos mais vulneráveis", disse o Papa, numa mensagem de vídeo que faz parte da campanha "It's up to you" ("Depende de ti"), da responsabilidade das organizações norte-americanas Ad Council e COVID Collaborative.

Na mensagem, divulgada nas redes sociais e no YouTube, o mais alto representante da Igreja Católica apelou ainda a que cada um contribua para erradicar a pandemia com um "pequeno gesto de amor".

Graças a Deus e ao trabalho de muitos, hoje temos vacinas para nos protegermos da covid-19", disse o Papa, defendendo que estas "trazem a esperança de acabar com a pandemia", mas "apenas se estiverem disponíveis para todos e se todos colaborarem".

No vídeo em espanhol e português, com uma duração de três minutos, participam ainda os arcebispos José Gómez, dos Estados Unidos, e Miguel Cabrejos, do Peru, além dos cardeais do Brasil, Cláudio Hummes, do México, Carlos Aguir Retes, das Honduras, Rodríguez Maradiaga, e Gregorio Rosa Chávez, de El Salvador.

O cardeal brasileiro, que falou em português na mensagem, destacou os "esforços heroicos dos profissionais de saúde" na luta contra a pandemia, considerando as vacinas "seguras e eficazes para proteger toda a família humana".

Do norte ao sul da América, apoiamos a vacinação para todos", afirmou também o cardeal mexicano.

A campanha, divulgada hoje, surge numa altura em que as infeções de covid-19 continuam a aumentar na Argentina, Brasil, Colômbia, El Salvador, Honduras, México e Peru, países em que a taxa de vacinação permanece baixa.

Nas Honduras, só 5,5% da população recebeu as doses necessárias da vacina para completar a inoculação.

No Brasil, apenas 23,6% dos habitantes receberam as duas doses ou a vacina de dose única, de acordo com dados oficiais.

Em El Salvador, a percentagem sobe para 30%, ainda assim aquém dos 51% nos Estados Unidos.

Segundo a agência Efe, cerca de metade dos imigrantes hispânicos nos Estados Unidos continuam sem tomar a vacina.

Queremos mudar a perceção sobre a eficácia e a segurança das vacinas de covid-19", explicou uma das responsáveis da iniciativa, Tania Sanjurjo, do grupo Ad Council, citada pela Efe, sublinhando que os líderes religiosos que participam no vídeo "têm grande influência na população hispânica".

A campanha "It's up to you" já recorreu anteriormente a outras personalidades para "levar informação assente em factos e que pode salvar vidas às populações que têm dúvidas sobre as vacinas contra a covid-19", incluindo os ex-presidentes norte-americanos Barack Obama, George W. Bush, Bill Clinton e Jimmy Carter, além de músicos, atores e atletas, segundo um comunicado das organizações que criaram a iniciativa.

A covid-19 provocou pelo menos 4.370.427 mortes em todo o mundo, entre mais de 207,84 milhões de infeções pelo novo coronavírus registadas desde o início da pandemia, segundo o mais recente balanço da agência France-Presse.

A doença respiratória é provocada pelo coronavírus SARS-CoV-2, detetado no final de 2019 em Wuhan, cidade do centro da China, e atualmente com variantes identificadas em países como o Reino Unido, Índia, África do Sul, Brasil ou Peru.

/ JGR