O ministro da Saúde alemão apelou, esta segunda-feira, à população que se vacine “com urgência” perante o avanço dos casos de covid-19 no país, avança a agência de notícias AFP.

Em tom de aviso, Jens Spahn afirmou que, no final do inverno, a população alemã estará "vacinada, curada ou morta".

“Provavelmente, até ao final do inverno, como às vezes se diz cinicamente, todos ou quase todos estarão vacinados, curados ou mortos” devido à propagação da variante Delta do novo coronavírus, que é “muito, muito contagiosa”, declarou o ministro alemão.

Em conferência de imprensa, o ministro disse ainda que a Alemanha tem vacinas suficientes e que as 16 milhões de doses da vacina da Moderna podem ser usadas como doses de reforço, que terão efeitos daqui a duas semanas. 

Mais vacinas a caminho

O governo alemão está em conversações com a BioNTech para receber, a partir da próxima semana, carregamentos adicionais de vacinas, sendo que 50 milhões de doses serão suficientes para todas as vacinas planeadas.

Segundo Spahn, mais de 50 milhões de doses da Moderna e da vacina da BioNTech já estão disponíveis e é também esperado que as doses da vacina da BioNTech para as crianças mais novas sejam entregues em toda a Europa a partir de 20 de dezembro, o que ajudará na imunidade da população, uma vez que as crianças em idade escolar apresentam uma das taxas de infecção mais altas do país.

A Alemanha, que espera que a União Europeia aprove a vacinação para crianças entre os 5 e os 11 anos até ao final da semana, deverá receber 2.4 milhões de doses.

Para Jens Spahn, apenas a vacinação, a distância social e as ações políticas podem colocar um travão na quarta onda de casos covid-19, que estão a aumentar de dia para dia na Alemanha. As unidades de cuidados intensivos dos hospitais estão a chegar a um ponto de saturação, principalmente por falta de pessoal.

"Atualmente temos uma quarta onda, temos uma situação muito, muito difícil em muitos hospitais na Alemanha", disse Spahn, acrescentando: "Estamos a ver essa onda espalhar-se gradualmente para o oeste”.

A incidência de casos de covid-19 na Alemanha registou este domingo, mais de 26 mil casos e 63 óbitos, numa altura em que o país se prepara para aumentar a pressão sobre os não vacinados.

Andreia Miranda