O primeiro-ministro do Reino Unido está a ser fortemente criticado depois de ter presidido a uma reunião com 27 membros do governo. Até aí tudo bem, o problema é que, numa mesa aparentemente apertada, nenhum dos participantes tinha máscara, numa altura em que a covid-19 ainda é uma realidade no país. Além disso, esta situação ocorreu exatamente no mesmo dia em que Boris Johnson pediu à população que continuasse a usar máscara em espaços fechados.

"Usem máscara em ambientes com muitas pessoas". Foi este o conselho dado pelo chefe do governo britânico na terça-feira. Acontece que, horas antes, Boris Johnson e os seus companheiros de governo reuniram-se num espaço fechado em torno de uma mesa, precisamente sem a proteção individual.

Além disso, nenhum dos conselheiros presentes na imagem, e que estavam em redor da mesa, utilizaram máscara.

Mas a recomendação do governo britânico não se aplica apenas a ambientes fechados, falando também em situações onde existem reuniões com pessoas com as quais não se está normalmente, como parece ser o caso da imagem.

Em comentário à polémica, uma fonte do Partido Trabalhista, da oposição, afirmou ao The Guardian que "parece haver uma regra para eles [governo] e outra para o resto das pessoas".

A arrogância dos políticos conservadores, que pensam que as regras não se aplicam a eles, é simplesmente revoltante", afirmou Munira Wilson, porta-voz dos Democratas Liberais para a área da Saúde.

Para Patricia Gibson, que representa o partido escocês com assento parlamentar em Londres, esta é mais uma prova da "confusão" em torno da gestão da pandemia.

Este é mais um episódio polémico em mais de ano e meio de covid-19 no Reino Unido, que é o quarto país com os piores números em todo o mundo, apenas atrás de Brasil, Índia e Estados Unidos.

António Guimarães