Vinte e três crianças que tinham sido raptadas e obrigadas a ir para a rua vender peças de artesanato foram resgatadas pelas autoridades em San Cristóbal de Las Casas, uma cidade turística no estado mexicano de Chiapas.

De acordo com a procuradoria-geral de Chiapas, três mulheres foram detidas no âmbito desta operação, que desmantelou uma rede de tráfico de menores que operava na cidade. As mulheres foram acusadas de tráfico humano e de trabalhos forçados.

As crianças raptadas têm idades entre os três meses e os 15 anos. Eram submetidas a grande “violência física e psicológica”, ameaçadas e obrigadas a ir para a rua vender peças de artesanato.

Quando foram encontradas, apresentavam sinais de estarem subnutridas, num estado de saúde vulnerável e foram observadas por médicos especialistas.

A operação de resgate começou depois do desaparecimento de Dylan Esaú Gómez Pérez. A criança desapareceu a 30 de junho, quando estava com a mãe num mercado público.

No entanto, o comunicado da procuradoria-geral mexicana, divulgado esta segunda-feira, não esclarece se Dylan estava entre as crianças salvas pelas autoridades.

San Cristóbal de las Casas é um município de Chiapas, estado do sul do México, que faz fronteira com a Guatemala.

É um estado muito visitado pelos turistas pela sua diversade ao nível da natureza e da cultura, com vários lugares arqueológicos da civilização Maia. Mas é também o mais pobre do país.

Sofia Santana