Um juiz federal decretou segunda-feira o pagamento de 200 mil dólares a um condenado britânico, por posse de pornografia infantil, como indemnização a uma mulher, em virtude do condenado ter fotografias da mulher ainda criança e abusada sexualmente, refere a Lusa.

O juiz Warren Eginton, que proferiu hoje a sentença, alegou que o condenado tem de pagar a indemnização devido à posse ilegal das imagens, mesmo que não seja o autor das fotografias com imagens de crianças em actos sexuais ilícitos.

A sentença envolve Alan Hesketh, condenado, em Outubro, a 78 meses de prisão por posse e distribuição de cerca de duas mil fotografias de pornografia infantil.

«Há um sentimento de revolta, sobre este tipo de conduta», afirmou o juiz Warren Eginton enquanto proferia a sentença, realçando que a família e a vida do condenado foram humilhadas, além de ter arruinado a carreira profissional.

O advogado do britânico argumentou que o seu cliente não teve qualquer contacto físico com a mulher, e que os arguidos só devem pagar a restituição às vítimas, cujos danos foram causados directamente.