Uma luta num centro comercial ao pé de uma escola entre pelo menos 50 adolescentes resultou no esfaqueamento e morte de um rapaz de 16 anos, em Oceanside, Nova Iorque.

A vítima, Khaseen Morris foi alegadamente penetrada no peito por uma faca por um rapaz de 18 anos, Tyler Flach. Khaseen ainda foi transportado para o hospital, mas acabou por morrer.

“Os miúdos ficaram parados e não ajudaram o Khaseen (...) gravaram a morte dele em vez de o ajudarem”, disse o Detetive Stephen Fitzpatrick do Departamento de Polícia do Condado de Nassau numa conferência de imprensa esta quinta-feira.

A polícia afirmou que o suspeito já foi preso e será julgado por homicídio em segundo grau. 

Uma testemunha anónima disse ao canal de notícias ABC WABC que a vítima foi emboscada por um grupo de 15 estudantes.

“Vi algumas pessoas sentadas num restaurante chinês… talvez 15 miúdos e, de repente, enquanto estava a falar ao telemóvel, sete ou oito miúdos vieram do lado norte e atacaram algumas pessoas que acho que estavam à procura”, disse a testemunha.

Enquanto estava a ser agredido, vários adolescentes juntaram-se à volta da vítima e começaram a gravar a luta. 

Ao canal WABC, a irmã de Khaseen disse que “ele era uma pessoa que ajudaria qualquer um e ninguém o ajudou. Ele disse à minha mãe que nunca se tinha sentido tão feliz por poder estar numa escola onde ninguém o julgava por ser ele mesmo.”

Phyllis Harrington, o superintendente da escola onde a vítima estudava, publicou um vídeo onde condena o “ato de violência sem sentido” e implorou aos pais dos alunos que monotorizem a atividade dos filhos nas redes sociais.

Testemunhas no centro comercial disseram à polícia que um grupo de rapazes saiu disparado de carro e perseguiu Khaseen e os seus amigos. Imagens do conflito mostram Khaseem a cair no chão enquanto vários adolescentes o filmavam.

Khaseen foi levado para o hospital em estado crítico e morreu devido às feridas durante a noite. Outro rapaz sofreu uma fratura no braço.

Nas redes sociais, Khaseen, cujos amigos tratavam por Kha, descrevia-se como devoto a anime (animação japonesa) e ao amor. Em fotografias é visto abraçado a amigos e a sorrir. Tinha parte do cabelo pintado de vermelho e usava pequenas rastas com tons de laranja e preto.

A irmã de Khaseen, Jessica Morris, disse numa entrevista ao New York Times que a vítima adorava desenhar e que planeava um dia estudar fotografia. Acrescentou que os dois tinham uma tatuagem igual em memória dos músicos Lil Peep e XXXTentacion, os seus artistas favoritos. 

 

 

A irmã da vítima afirmou também que, no domingo passado, Khaseen acompanhou uma rapariga do décimo ano até casa e isso despertou ciúmes no ex-namorado dela. No dia seguinte, antes de ir para a escola, Khaseen avisou a família que tinha sido ameaçado pelo ex-namorado da rapariga.

“O meu irmão disse ao rapaz que não queria a sua namorada e que apenas a acompanhou a casa. O ex-namorado disse que não queria saber.”, contou Jessica Morris, acrescentando que acha que os ciúmes foram a razão da luta.

A polícia identificou pelo menos sete dos rapazes envolvidos no conflito e na publicação dos vídeos e estão a trabalhar para determinar a identidade do resto.