A polícia tem amostras de ADN, uma descrição física e vários retratos falados. Sabe que o mesmo homem será o responsável por pelo menos 12 homicídios e 45 violações. Há mais de 40 anos que as autoridades norte-americanas andam atrás deste homem, mas, até hoje, não fazem a menor ideia da sua identidade.   

A história do “Original Night Stalker”, ou do “Violador da Zona Leste”, ou do “Homicídio da Golden State” deu já origem a um livro e a um documentário, mas continua um mistério por resolver.

De acordo com a CNN, o primeiro crime aconteceu em junho de 1976. O marido de Jane saiu para o trabalho e ela ficou na cama com o filho de três anos. Foi abruptamente acordada por uma figura que se assomou à porta do quarto. Era um homem com a cara tapada com um passa-montanhas, que tinha uma enorme faca numa mão e uma lanterna na outra com que a encadeou. Atou-lhes pés e mãos com cordéis e amordaçou-os, a ela e ao filho, e vendou-os com os lençóis. Tirou a criança da cama e desatou os pés de Jane.

Foi aí que percebi ao que ele ia”, recorda a vítima.

O crime de que Jane foi alvo marcou o início de uma perseguição que dura até hoje. O FBI acredita que, se estiver vivo, o criminoso terá agora entre 60 e 75 anos.

A atuação do criminoso começou na zona de Sacramento, no Norte da Califórnia. No primeiro ano, atacava apenas mulheres sozinhas em casa.  Em 1977, passou a atacar também casais.

Em 1978, terá cometido os primeiros homicídios. Brian e Katie Maggiore foram assassinados quando passeavam o cão e terão flagrado o criminoso prestes a entrar em mais uma casa.

Pensávamos que ele nunca mais iria parar. Mas, de repente, dois meses após os homicídios do casal Maggiore, o Violador da zona Leste desapareceu da nossa jurisdição. Foi como se tivesse evaporado no ar”, recorda à CNN Carol Daly, uma detetive reformada que estava, na altura, no ativo no condado de Sacramento.

Foi por essa altura que surgiram os primeiros crimes no condado de Santa Barbara, no Sul da Califórnia. Aqui, o criminoso foi batizado de “Original Night Stalker”. Atacou mulheres e casais entre dezembro de 1979 e maio de 1986. O modo de atuação era o mesmo do criminoso de Sacramento e as autoridades do Norte da Califórnia não tiveram dúvidas de que estavam perante a mesma pessoa. O problema é que não o podiam provar: o homem não deixava impressões digitais e os meios de investigação eram, nessa altura, escassos.  

Quando surgiram os testes de ADN e se fizeram as primeiras recolhas, a polícia confirmou que o criminoso de Santa Bárbara tinha cometido pelo menos três dos ataques na área de atuação do denominado “Violador da Zona Leste”.

Em 2001, por causa das provas de ADN recolhidas, não restaram dúvidas de que o “Violador da Zona Leste” e o “Original Night Stalker” eram a mesma pessoa.  

Contudo, a polícia continua sem uma identidade. Sabe que é um homem branco, com cerca de 1,80 metros de altura, louro ou com cabelo castanho muito claro.

Temos o ADN. Se encontrarmos o tipo certo, saberemos que estamos perante o Homicida de Golden State”, diz Paul Holes, um detetive privado, que investigou o caso, na altura, para um escritório de advogados.

Em 2016, o FBI chegou mesmo a oferecer uma recompensa de 50 mil dólares (40600 euros) por qualquer pista que possa levar à prisão e condenação deste homem.