Cerca de 240 pessoas terão perdido a vida em dois naufrágios na costa da Líbia. A informação foi avançada pelo Alto Comissariado das Nações Unidas para os Refugiados (ACNUR), a vários órgãos de comunicação internacionais.

Na base da informação da ACNUR está o relato de dois sobreviventes resgatados pelas autoridades na costa italiana de Lampedusa, explica a porta-voz Carlotta Sami.

Até ao momento não foi recuperado qualquer cadáver.

Este ano, já terão morrido mais de 4200 migrantes a tentar atravessar o mar Mediterrâneo. O número foi avançado por Leonard Doyle da International Organization of Migration (Organização Onternacional para a Migração). Na verdade, a ONU acredita que o ano de 2016 vai ser o mais mortal para os migrantes, mesmo que tenha decrescido o número de pessoas a tentar atravessar o Mediterrâneo: cerca de 327.800 até agora contra 1.015.078 em 2015.

Só este ano, por exemplo, já morreram pelo menos 600 crianças na travessia, ou seja, uma média de duas mortes infantis por dia, alertou a organização não governamental Save the Children, nos primeiros dias de outubro. Um número, apurado entre 1 de janeiro e 26 de setembro.