Alguns habitantes que vivem perto do local da erupção do vulcão Cumbre Vieja na ilha de La Palma (Canárias) foram autorizados a deslocar-se temporariamente às suas casas para recolher os seus pertences.

O vulcão entra esta quinta-feira no seu décimo segundo dia de atividade e não há alterações substanciais no seu estado desde que o fluxo de lava chegou ao mar na quarta-feira ao fim do dia.

De acordo com o último relatório de situação do Departamento de Segurança Nacional (DSN), divulgado às 07:00 horas locais (a mesma hora em Lisboa), "desde que o fluxo de lava chegou ontem [quarta-feira] ao mar, não se registaram alterações substanciais na atividade vulcânica".

A lava mantém "um fluxo contínuo sob a forma de cascata" e na base da falésia, através da qual atinge o mar, forma-se um delta que se estende em direção ao sul da ilha.

Neste novo dia de erupção, as zonas de exclusão marítima e terrestre em redor do vulcão, o fluxo e a área onde este chega ao mar estão a ser mantidos, bem como a evacuação dos residentes decretada na semana passada e o confinamento de vários centros populacionais.

Alguns residentes foram autorizados pelas autoridades a deslocar-se às suas casas para recolher os seus pertences, sempre fora do perímetro de exclusão de 2,5 quilómetros.

A atividade sísmica continua a ser registada no sul de La Palma, na zona de Fuencaliente, o que se relaciona, em princípio, com a erupção do vulcão.

O DSN explica que "o sistema vulcânico, de momento, tem uma válvula de escape aberta, sem necessidade de procurar um novo caminho para a superfície da terra".

Agência Lusa / AG