O Reino Unido acusou esta sexta-feira a União Europeia (UE) de estar a tornar as negociações da saída do bloco europeu "desnecessariamente difíceis", ao apontar "pouco progresso” na conclusão da sétima ronda de negociações para um acordo pós-Brexit.

Num comunicado, o negociador-chefe britânico, David Frost, criticou os 27 por quererem impor ao Reino Unido continuidade nas políticas de apoios estatais e pescas em Londres e por quererem um acordo sobre esses pontos antes de avançar em outros assuntos.

"Isso torna desnecessariamente difícil fazer progressos. Existem outras áreas importantes que ainda precisam ser resolvidas e, mesmo naquelas em que existe um amplo entendimento entre os negociadores, há muitos detalhes que precisam de ser trabalhados. O tempo é curto para ambos os lados”, criticou.

Frost considerou que um acordo "ainda é possível”, mas que “não será fácil” e que ainda falta muito trabalho. 

O Reino Unido pretende negociar um acordo de comércio com a UE semelhante ao que o bloco fez com o Canadá, juntamente com disposições práticas para cooperação em áreas como aviação, programas científicos e ao nível jurídico. 

"Quando a UE aceitar esta realidade em todas as áreas das negociações, será muito mais fácil fazer progressos”, vincou.

O negociador-chefe da União Europeia para as relações futuras com o Reino Unido no pós-Brexit, Michel Barnier, afirmou-se “desiludido e preocupado” com a sétima ronda negocial, culminada hoje em Bruxelas, mais uma vez sem progressos.

/ LF