A gravata torta de Donald Trump enquanto discursava não foi o único aspeto que saltou à vista em termos de indumentária no Estado da União. Ninguém ficou indiferente ao “manto” branco pintado pelas congressistas democratas no debate desta terça-feira. A escolha desta cor teve um objetivo: um protesto silencioso para assinalar uma posição sobre os direitos das mulheres.

Entre as democratas que escolheram vestir roupa branca no Estado da União estiveram a presidente da Câmara dos Representantes, Nancy Pelosi, a congressista eleita por Nova Iorque, Alexandria Ocasio-Cortez, ou Ilhan Omar, do Minnesota.

Todas responderam ao apelo lançado dias antes por um grupo de trabalho de mulheres democratas: usar a cor branca, associada ao movimento sufragista, como forma de protesto.

A democrata Lois Frankel, da Florida, que faz parte deste grupo de trabalho, explicou à CNN que a iniciativa quis expressar solidariedade para com as mulheres de todo o país e marcar uma posição: a de que as congressistas estão vigilantes e não vão deixar que se volte atrás nos direitos já conquistados.

Vestir a cor branca, associada ao movimento sufragista, passa uma mensagem de respeito e solidariedade para com as mulheres em todo o país e uma declaração de que não vamos voltar atrás nos direitos que já conquistamos”, sublinhou à CNN.

O apelo foi dirigido aos dois partidos, mas do lado republicano não teve expressão. De resto, foi visível a divisão criada pelas cores escolhidas pelas mulheres dos dois partidos, com Melania e Ivanka Trump a vestirem preto integral. 

Esta não foi a primeira vez que as democratas se vestiram todas de branco para o Estado da União. O mesmo aconteceu em 2017, como ilustra uma imagem partilhada por Lois Frankel no Twitter, nesse ano.

No ano passado, no entanto, a imagem foi bem diferente. As congressistas escolheram o preto como homenagem ao movimento #MeToo, organizado contra o assédio sexual e pela igualdade de género.

Donald Trump foi acusado de assédio e conduta imprópria por várias mulheres. De resto, ainda antes de ter tomado posse como presidente dos Estados Unidos, o milionário já era criticado por tecer comentários ou declarações consideradas machistas. É notória a ausência de mulheres nos cargos executivos da Casa Branca. 

Sofia Santana