O presidente norte-americano, Joe Biden, juntou-se ao grupo de pessoas que pedem a demissão do governador de Nova Iorque, Andrew Cuomo, após uma investigação ter dado conta que o político assediou sexualmente “múltiplas mulheres”, dentro e fora do local de trabalho, durante vários anos. O documento, com mais de 165 páginas, dá ainda conta de que o atual governador tentou retaliar contra uma ex-funcionária que o acusou de conduta inapropriada. 

Eu acho que se devia demitir”, afirmou Biden aos repórteres, esta terça-feira.

O inquérito, levado a cabo por dois advogados externos e que envolveu entrevistas a mais de 179 indivíduos, incluindo algumas das alegadas vítimas do governador, deu conta de um “ambiente de trabalho hostil”, repleto de “medo e intimidação”. Entre os inquiridos são atuais e antigos funcionários e o próprio governador.

De acordo com a advogada Anne Clark, uma das advogadas que chefiou a investigação, cerca de 11 mulheres que acusam o governador são consideráveis “credíveis”, sublinhando que as suas alegações foram corroboradas quer por testemunhas quer pelo registo de mensagens escritas.

Estas entrevistas e provas revelam um quadro profundamente perturbador, mas claro: o governador Cuomo assediou sexualmente funcionários e ex-funcionários estaduais, violando leis federais e estaduais”, garantiu a procuradora-geral de Nova Iorque, Letitia James.

A procuradora revelou que o governador terá realizado “toques indesejados e não consensuais” e feito comentários de natureza sexual “sugestiva”, criando aquilo que Letitia James descreve como um ambiente hostil para as mulheres. Acusações que Andrew Cuomo já veio a público rejeitar.

Eu nunca toquei em ninguém inapropriadamente ou fiz qualquer avanço de natureza sexual”, afirmou o governador, que classificou a investigação como “enviesada”, numa mensagem pré-gravada publicada no Twitter.

“No princípio, deixei o processo desenrolar-se. Não queria ninguém a dizer que eu interferi [no processo]”, afirmou. “Está a ser um período difícil e doloroso para mim e para a minha família, enquanto outros alimentam a imprensa com histórias muito feias”.

Cuomo afirma ainda que os seus advogados terão produzido um documento que rebate a acusação “ponto por ponto”, garantindo que não se irá distrair do seu trabalho de governador e que rejeita qualquer hipótese de demissão.