O número de mortos num acidente numa mina de carvão no norte da China subiu para oito, depois de as equipas de resgate terem encontrado cinco corpos sem vida, informou hoje a agência oficial Xinhua.

Dois cadáveres foram encontrados sob os escombros, na madrugada de quinta-feira, e os outros três encontrados durante a tarde, detalhou a agência.

Treze mineiros continuam desaparecidos.

A operação de resgate prossegue, apesar de, até ao momento, ter sido encontrado apenas um mineiro com vida, desde que o acidente ocorreu, no sábado passado.

O acidente deveu-se ao rompimento de uma rocha, que destroçou uma secção do túnel e bloqueou a saída a parte dos 334 trabalhadores nas minas. As equipas de resgate conseguiram evacuar 312.

As minas de carvão na China, consideradas na última década as mais perigosas do mundo, registaram o ano passado 219 acidentes, dos quais resultaram 375 mortos, uma descida de 28,7% face a 2016 e 20 vezes menos do que os registados há uma década.

O pior ano deste século foi 2003, quando se contabilizaram 6.990 mortes nas minas do país.

O encerramento de minas ilegais, muitas delas de pequena dimensão, e o aumento das ações de fiscalização contribuíram para a queda no número de vítimas mortais.

Cerca de dois terços da energia consumida na China continuam a assentar no carvão.