As autoridades das Filipinas elevaram para 22 o número de mortos devido a um deslizamento de terras em Naga que, na quinta-feira, atingiu 60 casas naquela cidade da província de Cebu, no centro do país.

Um dia após o desastre, as equipas de resgate recuperaram 22 corpos, mas continuam no local à procura de eventuais sobreviventes entre as cerca de 70 pessoas que se acredita estarem soterradas.

Até agora, nove pessoas foram resgatadas com vida, apesar dos esforços das equipas de salvamento terem sido prejudicados na quinta-feira à noite pela chuva e risco de outro deslizamento de terra, explicou à imprensa local o porta-voz da autarquia de Naga, Gary Cabotage.

"A operação de busca e salvamento é muito delicada, quase tudo está a ser feito com recurso a picaretas e pás porque é perigoso usar equipamentos pesados", acrescentou Cabotaje.

Cerca de 500 famílias foram retiradas da área após o deslizamento de terra, algo que continua a ocorrer um pouco por todo o país depois do tufão Mangkhut ter atingido o país no sábado, causando 88 mortes, a esmagadora maioria no norte das Filipinas.

O evento mais trágico causado pelo Mangkhut ocorreu em Cordillera, na cidade mineira de Itogon, onde no sábado um grande deslizamento de terra cobriu de lama uma mina de ouro abandonada e vários abrigos onde dezenas de famílias se refugiaram durante o tufão.

Por enquanto, as equipas de resgate recuperaram 28 corpos, enquanto procuram, pelo sexto dia consecutivo, 52 desaparecidos.