Uma mulher foi detida, na quinta-feira, depois de, alegadamente, ter deixado o filho do seu namorado a morrer à fome trancado dentro de um quarto, em Nova Iorque, nos Estados Unidos.

De acordo com o gabinete do procurador de Orange County, Leticia Bravo, de 39 anos, enfrenta uma acusação de homicídio em segundo grau pela morte de Peter Cuacuas, de 7 anos. O pai do menino, Arturo Cuacuas, foi também acusado de homicídio por negligência.

O caso remonta a 10 de fevereiro, quando Leticia levou o corpo da criança já sem vida ao hospital, onde Peter seria declarado morto.

A autópsia revelou que Peter Cuacuas morreu de subnutrição, já que, à data da morte, pesava apenas 16 quilos”, esclareceu o gabinete do procurador de Orange County, em comunicado.

A mulher terá trancado a criança dentro de um quarto e impedido que o menino marcasse presença nas aulas online.

O Peter nunca assistiu às aulas online, apesar das inúmeras conversas entre Leticia e os professores do menino, afirmou o gabinete.

 

É impensável que alguém aceite a responsabilidade de cuidar de uma criança e depois lhe negue as necessidades básicas da vida. É realmente preocupante como esta criança foi mantida escondida das autoridades escolares antes de morrer", salientou o procurador David Hoovler, em comunicado.

Leticia Bravo acabou por ser detida oito meses após a morte de Peter.

Redação / IC