A polícia de Berlim fez cerca de 240 detenções durante os vários comícios do Dia do Trabalhador, marcados na noite de sábado por confrontos, tendo qualificado de “violência inaceitável” os distúrbios ocorridos.

A violência em comícios é absolutamente inaceitável", disse Barbara Slowik, oficial da polícia alemã citada pela agência France Presse, falando em, pelo menos, 20 polícias ligeiramente feridos.

No total, cerca de 30.000 pessoas marcharam no 1.º de Maio em várias manifestações ao longo do dia na capital alemã, a maioria das quais ocorreu de forma pacífica.

Foi à noite que a situação ficou tensa quando, segundo a polícia, as forças de segurança dispersaram uma manifestação da extrema-esquerda, o "Bloco Negro", cujos membros não respeitaram as restrições de saúde relacionadas com a pandemia de covid-19.

"Confrontos violentos" ocorreram com manifestantes lançando garrafas ou pedras contra a polícia e incendiando contentores de lixo ou paletes de madeira na estrada, disse a oficial da polícia de Berlim.

A situação [de conflito] aumentou, mas foi rapidamente controlada", disse.

Mais de 20 manifestações foram organizadas no 1.º de Maio na capital alemã, com palavras de ordem sobre temas como o aumento das rendas, a política de migração e a oposição a medidas restritivas ligadas à pandemia.

A polícia de Berlim tinha destacado para as ruas cerca de 5.600 agentes para acompanhar as manifestações do Dia do Trabalhador.

/ CM