Um assassino em série indiano, que admitiu o seu envolvimento no homicídio de mais de 50 taxistas - cujos corpos foram atirados para águas infestadas de crocodilos - foi apanhado pela polícia depois de ter fugido enquanto estava em liberdade condicional.

De acordo com a CNN, entre 2002 e 2004, Devender Sharma foi condenado por ter assassinado até sete taxistas. Em Jaiour, uma cidade do estado de Rajasthan, no norte do país, o homem foi sentenciado a prisão perpétua.

Depois de ter passado 16 anos na prisão, o homem de 62 anos conseguiu sair em liberdade condicional em janeiro, mas quando terminou, Sharma não voltou à prisão, segundo a polícia indiana.

Na passada quarta-feira - passados cerca de seis meses desde que desapareceu - agentes da polícia detiveram-no na capital do país, Delhi, onde morava com uma viúva.

Quando questionado, confessou que tinha quebrado o acordo da liberdade condicional e que não tencionava voltar à prisão. Ao mesmo tempo, entrou em detalhes sobre o seu passado criminal.

Sharma formou-se em medicina e foi responsável por uma clínica, mas depois perdeu todo o seu dinheiro e começou a enveredar por outros caminhos.

Chegou a fazer parte de um esquema ilegal de transplante de rins. Sharma disse às autoridades que fazia parte de um grupo que raptava taxistas, escreve a CNN. Depois matava-os em locais isolados e deitava os corpos para lagos cheios de crocodilos, o que tornava impossível a recuperação de restos mortais.

Depois, além de alguns órgãos, Sharma vendia os táxis – inteiros ou só as peças – e faturava cerca de 270 dólares por cada carro.

 
Lara Ferin