Um jovem, de 19 anos morreu de cancro depois de ir doze vezes ao Hospital Castle Hill, em Inglaterra, e ter sido diagnosticado com ansiedade.

Christopher Chaffey reclamava há meses de dores no peito, mas os médicos diziam sempre que era da ansiedade. No entanto, 15 meses depois do início dos sintomas, o jovem foi levado de urgência para o hospital, por causa de um caroço, que desenvolveu no pescoço. 

Nessa altura, já era demasiado tarde para o salvar e, algumas semanas depois, o jovem faleceu.

A história foi tornada pública pelo irmão, Michael Chaffey, que vai agora correr a Maratona de Londres, com o objetivo de angariar dinheiro para a associação Teenage Cancer Trust (Fundo para combater o cancro na adolescência) e de aumentar a consciencialização sobre o cancro, que matou o irmão há 13 anos.

Em algum momento, todos passamos pelo luto de alguém, mas tentei encontrar formas positivas para o recordar e o deixar orgulhoso. Quero angariar dinheiro, mas também aumentar a conscientização para o assunto", expressou Michael Chaffey, citado pelo jornal The Mirror.

Um inquérito sobre a morte do jovem determinou que ele poderia ter sido salvo se o diagnóstico tivesse sido feito mais cedo.

O médico legista disse que havia uma forte possibilidade de que ele pudesse ter sido salvo se tivesse sido diagnosticado quando foi ao médico primeira vez como dores no peito", afirmou o irmão.

Redação / IC