O presidente do Eurogrupo, o também ministro das Finanças da Holanda, Jeroen Dijsselbloem, está a ser alvo de piadas na internet, depois das declarações polémicas sobre os países que pediram resgates financeiros durante a crise.

Dijsselbloem afirmou, em delcarações ao Frankfurter Allgemeine, que "durante a crise do euro, os países do Norte mostraram-se solidários com os países afetados pela crise. Como social-democrata, atribuo à solidariedade uma importância excecional. Porém, quem pede [ajuda] também tem obrigações. Não se pode gastar o dinheiro em copos e mulheres e depois pedir que o ajudem”, afirmou, aqui citado pelo Financial Times.

O eurodeputado espanhol Ernest Urtasun chegou a confrontar ontem Dijsselbloem com as suas próprias palavras, dizendo que foram "infelizes". Carregou na ironia ao interpelar o presidente do Eurogrupo: "Talvez para si seja engraçado, mas eu não acho que seja. Gostaria de saber se esta é a sua primeira declaração como candidato para renovar o seu cargo de presidente do Eurogrupo".

Dijsselbloem relativizou e não pediu desculpa: "Não se ofendam, isto não é sobre um país, é sobre todos os nossos países. A Holanda também falhou no cumprimento do que foi acordado", tentou contornar.

No entanto, as declarações não passaram em branco e na era da internet, a resposta dos "países do sul" não tardou.

Veja abaixo algumas das publicações partilhadas nas redes sociais.