Um professor português destacado em Timor-Leste está infetado com o novo coronavírus, anunciaram hoje as autoridades de saúde timorenses, depois de a amostra, inicialmente negativa, ter sido reanalisada em Darwin, na Austrália.

Em causa, disse à Lusa o porta-voz do Centro Integrado de Gestão de Crise (CIGC), Sérgio Lobo, estão testes realizados a um grupo de quatro professores e um motorista que tinha estado em contacto com a professora portuguesa que viajou para Lisboa a 4 de abril onde, dias depois, testou positivo à Covid-19.

Enviamos todos os testes feitos no Laboratório Nacional para Darwin, por uma questão de controlo de qualidade”, disse à Lusa o porta-voz do Centro Integrado de Gestão de Crise (CIGC), Sérgio Lobo.

As análises confirmaram que um dos testes aos professores que inicialmente aqui nos deu negativo, deu agora positivo em Darwin, ainda que um positivo com baixa carga viral”, explicou.

Um outro teste realizado a outro docente deu resultado “inconclusivo” na análise em Darwin, explicou Lobo.

Os docentes em causa estão há várias semanas em confinamento em casa, sem quaisquer contactos com habitantes locais, e já foram informados dos resultados.

Há agora várias questões que temos de analisar sobre este caso. A baixa carga viral pode indiciar que esteja já na fase final do processo de infeção. Ainda assim, e mesmo que a carga viral seja muito pequena, é considerado um resultado positivo”, explicou Sérgio Lobo.

É precisar avaliar a situação. Vamos ver se há necessidade de os colocar ou não nas instalações do Estado”, referiu.

Fonte da Embaixada de Portugal em Díli confirmou à Lusa que a embaixada foi este domingo informada do caso pelas autoridades de saúde timorenses, explicando que todos os docentes têm estado em quarentena e sem quaisquer contactos com a população.

“A Embaixada está a acompanhar em permanência o caso e vão ser naturalmente respeitados todos os procedimentos ditados pelas autoridades timorenses”, disse a fonte, sublinhado que todos os docentes estão sem quaisquer sintomas.

Com este caso, o número total de casos positivos em Timor-Leste aumenta para 20, dos quais um recuperado, sendo este o primeiro registado fora dos locais de quarentena criados pelo Governo, mas num grupo que estava em auto confinamento em casa.

Hoje uma outra porta-voz do CIGC, Odete Viegas, tinha anunciado o 19.º caso confirmado em Timor-Leste, de um paciente que estava em quarentena num hotel em Díli e que tinha vindo da Indonésia, como ocorre com todos os outros anteriores à exceção do primeiro caso, entretanto recuperado.

Esses 18 pacientes com infeção ativa e quatro outros considerados “prováveis” estão atualmente isolados na Clínica de Vera Cruz, em Díli.

Timor-Leste realizou testes a 323 casos suspeitos, dos quais quatro são considerados “prováveis” – testes inconclusivos -, 92 ainda estão à espera dos resultados e 208 tiveram resultados negativos, segundo o balanço oficial divulgado hoje.

Odete Viegas disse que atualmente estão em quarentena obrigatória em locais preparados pelo Governo timorense um total de 594 pessoas, das quais 460 em Díli e 134 nos municípios. Estão ainda 14 pessoas em auto-quarentena em casa em vários municípios.

Já terminaram a quarentena 1.399 pessoas.

A nível global, a pandemia de Covid-19 já provocou mais de 160 mil mortos e infetou mais de 2,3 milhões de pessoas em 193 países e territórios. Mais de 502 mil doentes foram considerados curados.