A Arábia Saudita concedeu este domingo o direito de voto às mulheres.

Uma decisão há muito esperada na monarquia ultraconservadora do Golfo, mas sempre adiada.

Foi o rei Abdullah em pessoa que anunciou a decisão sem precedentes, em sessão do conselho consultivo saudita.

A partir das eleições de 2015, as mulheres podem não só votar como concorrer às eleições locais. Também vão poder participar na próxima sessão do «majlis al-shura», o conselho consultivo.

O anúncio não responde porém ao reconhecimento pleno do papel da mulher na sociedade. As sauditas estão proibidas de conduzir, praticar desporto, trabalhar, viajar, estudar, casar ou submeterem-se a uma operação sem autorização expressa de um homem, seja marido, pai, ou irmão.