O WikiLeaks está disponível para pagar 100 mil dólares, qualquer coisa como 91,4 mil euros, por eventuais gravações que existam de conversas entre o Presidente dos Estados Unidos e o ex-diretor do FBI James Comey, que foi despedido na terça-feira por Donald Trump.

A possibilidade de existirem gravações das conversas foi insinuada na sexta-feira pelo próprio Trump. Numa série de tweets, como é seu hábito, disse que seria melhor James Comey torcer para que não haja “cassetes” das conversas, antes de começar a fazer revelações aos media.

Em reação, fontes próximas de James Comey, citadas pela CNN, asseguraram que o ex-diretor do FBI “não está inquietado” com a ameaça do presiente. "Se houver alguma cassete, não há nada que o preocupe”, garantiram.

Trump escreveu no Twitter, há dias, que “os democratas” afirmaram no passado que Comey devia ser dispensado e que. Às críticas que fazem agora, respondeu que chegará a altura em que Republicanos e Democratas vão agradecer-lhe.

De recordar que o ex-diretor do FBI queria mais recursos para investigar Trump. Desde que tomou posse, o presidente norte-americano despediu três pessoas que o fizeram.

/ VC