O Presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, abriu o seu primeiro discurso no Congresso norte-americano, na noite de terça-feira, com uma condenação aos recentes atos de violência e ameaças contra comunidades judias no país.

Trump afirmou que estes atos devem servir para recordar que os Estados Unidos, apesar das divisões políticas, são um país “unido em condenar o ódio e o mal em todas as suas formas”.

Mas o Presidente norte-americano defendeu, de novo, a proibição de entrada em território norte-americano de determinados estrangeiros para evitar a formação de uma base terrorista no país.

Não podemos permitir que a nossa nação seja um santuário para os extremistas”, afirmou.

Prometendo novas medidas “em breve”, considerou que "não é compassivo, mas imprudente, permitir a entrada descontrolada [de pessoas oriundas] de lugares onde não acontece uma verificação adequada".

Garantida foi também que a construção de um muro na fronteira com o México começará “em breve” e será “uma arma muito eficaz contra o crime e a droga”.

Devemos restaurar a integridade e o império da lei nas nossas fronteiras. Por isso, em breve, iremos começar a construção de um grande muro ao longo da nossa fronteira sul. Iniciar-se-á antes do programado e, uma vez concluído, será uma arma muito eficaz contra o crime e a droga”, sublinhou

Mas o discurso de Donald Trump foi além das questões mais polémicas. O Presidente afirmou estar a preparar “uma reforma tributária histórica” que irá baixar os impostos das empresas e proporcionar um “alívio fiscal massivo” à classe média.

A minha equipa económica está a desenvolver uma reforma fiscal histórica que irá reduzir a taxa de impostos das nossas empresas para que possam competir e prosperar em qualquer lugar e com qualquer pessoa”

Ao mesmo tempo, iremos proporcionar um alívio fiscal massivo para a classe média”, assegurou o Presidente norte-americano, renovando uma das suas promessas de campanha.

Reafirmando o seu apoio à NATO, Donald Trump deixou um pedido aos congressistas: um dos maiores aumentos dos gastos em Defesa na história do país.

Para manter os Estados Unidos seguros, devemos proporcionar aos homens e mulheres das Forças Armadas as ferramentas de que necessitam

“Os desafios que enfrentamos como nação são grandes. Contudo, o nosso povo é ainda maior. E ninguém é maior ou mais valente do que aqueles que lutam com o uniforme pelos Estados Unidos", afirmou o Presidente norte-americano, detalhando que a sua proposta de orçamento para a defesa prevê também um aumento do financiamento para os veteranos de guerra.

/ PP