A China está pronta a enfrentar os Estados Unidos na disputa comercial, mas mantém aberta a porta do diálogo, disse hoje em Singapura o ministro da Defesa chinês.

"Quanto aos atritos comerciais iniciados pelos Estados Unidos: se os Estados Unidos querem falar, vamos manter a porta aberta. Se eles querem o confronto, estamos prontos", disse o general Wei Fenghe durante a reunião, num discurso proferido num fórum de segurança em Singapura, onde a luta pela influência na Ásia entre os EUA e a China dominou o debate.

Washington e Pequim opõem-se numa disputa comercial com taxas alfandegárias de um valor que chega aos 360 mil milhões de dólares (321 milhões de euros) em produtos.

O general Wei é o primeiro ministro da Defesa da China a participar no fórum desde 2011.

No sábado, no mesmo fórum, o líder do Pentágono, Patrick Shanahan, pediu à China que pare de "erodir a soberania" dos seus vizinhos e advertiu que os Estados Unidos irão investir fortemente nos próximos cinco anos para manter a supremacia militar na região.

Os Estados Unidos acusam Pequim de militarizar várias ilhas no Mar do Sul da China reivindicadas por Taiwan, pelo sultanato de Brunei, Malásia, Filipinas e Vietname.

Os EUA realizam regularmente operações no Pacífico, sobrevoando o espaço aéreo internacional ou navegando embarcações de guerra perto dos arquipélagos disputados ou no estreito de Taiwan, que Pequim considera parte integrante das suas águas territoriais.