A Organização Mundial de Saúde advertiu, esta sexta-feira, que o combate à erradicação da poliomielite continua a ser uma emergência de saúde pública, porque, apesar dos avanços, os progressos ainda são frágeis.

Depois de uma reunião convocada pela agência de saúde da Organização das Nações Unidas, os especialistas afirmaram hoje que, caso a estratégia de erradicação falhe, esta doença incapacitante poderá ressurgir nos próximos anos.

"Estamos perto da eliminação da poliomielite, mas temos que usar todas as nossas ferramentas internacionais para atingir esse fim", disse Helen Rees, chefe do Comité Internacional de Emergência da OMS.

A estratégia internacional para erradicar a poliomielite começou em 1988, mas os esforços estagnaram em países devastados pela guerra, não tendo sido cumpridas as metas estabelecidas.

Segundo a OMS, as epidemias de poliomielite no Afeganistão e no Paquistão são particularmente preocupantes. O número de casos no Afeganistão quase duplicou em 2018. O último caso em Portugal foi registado há 32 anos.