O filho de Donald Trump, Donald Trump Jr, começou a vender “merchandise” a gozar com Alec Baldwin e com o acidente nas filmagens de Rust que culminou na morte de Halyna Hutchins.

Uma das publicações desta segunda-feira, no Instagram, mostra que o filho do ex-presidente norte-americano criou uma linha de camisolas que visam atacar Alec Baldwin, que é publicamente contra a venda de armas.

As armas não matam pessoas, Alec Baldwin mata pessoas”, pode ler-se nas camisolas.

No site onde Donald Trump Jr. vende as peças de vestuário, é possível perceber-se que a gama varia entre t-shirts e camisolas da manga comprida, com preços entre os 27,99 e os 39.99 dólares.

Desde que o incidente ocorreu, na passada quinta-feira no Novo México, Trump Jr. tem partilhado um conjunto de imagens e frases sobre o sucedido. 

Aquele olhar quando um maluco “anti-armas” mata mais pessoas com uma arma do que toda a extensa coleção de armas de fogo”, partilhou Donald Trump Jr.

As publicações em que o filho do ex-presidente dos EUA ironiza toda a situação e aproveita para apontar o dedo a Alec Baldwin sucedem-se.

Vamos todos assistir enquanto Alec Baldwin culpa a arma”, na legenda pode ainda ler-se: “É apenas uma questão de tempo”.

Trump Jr. reitera sempre que pode que é imperativo que haja uma investigação rigorosa ao incidente. Utilizando o já famoso argumento dos norte-americanos a favor da legalização das armas: “As armas não matam. As pessoas é que matam”.

Alec Baldwin matou, na passada quinta-feira, ao que tudo indica acidentalmente, a diretora de fotografia responsável pelo filme Rust, Halyna Hutchins, no estado do Novo México, nos Estados Unidos.

De acordo com a investigação, o ator estaria a preparar uma cena em que apontava a arma para a câmara. O realizador Joel Souza também foi atingido num ombro e teve de receber tratamento hospitalar.

Baldwin já reagiu ao incidente no Twitter. O ator confessa "choque e tristeza" perante o "trágico acidente" e a colaborar com autoridades para perceber "como esta tragédia aconteceu".

A investigação já está a decorrer, não tendo sido feitas quaisquer acusações até ao momento.

Nuno Mandeiro