O novo morador da Casa Branca não lê, não pratica desporto e não tem cuidados com a alimentação. A rotina diária de Donald Trump não podia ser mais distinta da dos seus antecessores. A vitória nas eleições norte-americanas surpreendeu tudo e todos e, sem qualquer experiência governativa, o homem de negócios assumiu o destino de um dos maiores países mundo.

Pouco diplomático na forma de ser e nas palavras, Donald Trump é, em quase tudo, distinto dos outros presidentes. Tem uma rotina simples, menos pesada que a dos antecessores e, até, menos enigmática, escreve o El País.

Barack Obama, por exemplo, quando passava o dia na Casa Branca passava o dia a ler livros, ou na sala oval ou na residência. Defendia que ler o ajudava a parar e a ter uma perspetiva do que estava a acontecer no mundo, a refletir e a fazer autocrítica.

George W. Bush entrava na sala oval às 07:30 da manhã, para começar a jornada de trabalho, e só saía para fazer praticar desporto ou, ocasionalmente, correr e brincar com os cães. Fazia sempre as refeições com a família e descansava as oito horas recomendadas para conseguir corresponder às exigências do cargo. 

Também Bill Clinton fazia jogging três vezes por semana. Considerava esta prática essencial para se desligar da intensidade da função que exercia.

Os dias de Donald Trump na Casa Branca não podiam ser mais diferentes. O atual presidente não lê livros, não pratica desporto e não lhe é conhecida nenhuma dieta especial. Apesar de se levantar antes das 06:00 da manhã, tal como já fazia quando vivia na Torre Trump, em Nova Iorque, só começa a trabalhar por volta das 09:00.

Segundo uma entrevista ao The New York Times, a poucos dias da tomada de posse, Donald Trump assumiu que via os programas matinais na televisão. Tal como, folheava os jornais que considerava de referência. Uma rotina que ainda se mantém.

Após três horas de entretenimento, o presidente dirige-se para a sala oval. Durante o dia mantém reuniões com assessores, empresários das mais variadas áreas e outros membros do seu executivo. De vez em quando, almoça com o vice-presidente Mike Pence, numa zona privada da Casa Branca.

Segundo Washington Post, o dia de trabalho termina pelas 18:00/19:00. A partir daí dedica-se à agenda pessoal. No entanto, como a sua mulher e o seu filho mais novo ficaram a viver em Nova Iorque, acaba por, mais uma vez, acabar o dia como começou: a ver televisão. Ocasionalmente também publica tweets. O uso da Twitter é uma das marcas distintivas da sua presidência.

Desde que está a viver, oficialmente, na Casa Branca, Donald Trump tem viajado com frequência, aos fins de semana, para a mansão que tem no clube privado Mar-a-Lago e que o próprio descreve como a “Casa Branca de inverno”. É aqui que joga golf e reúne com membros da sua equipa e amigos, deixando para trás a pressão da capital dos Estados Unidos.

Talvez a sua decisão em colocar cortinas douradas na sala oval, como as que tinha na Torre Trump, seja uma forma de diminuir a aparente dificuldade em habituar-se às novas rotinas, conclui o El País.
 

Patrícia Pires