O principal conselheiro em política comercial da Casa Branca criou uma personagem fictícia, criando um pseudónimo, para criar discussões sobre o conflito comercial sino-norte-americano, informou o New York Times, na quarta-feira.

Peter Navarro, conhecido pela sua hostilidade para com a China, divulgou uma nota escrita por “Ron Vara”, um perito fictício, que citou em vários dos seus livros.

Ora, “Ron Vara” não passa de um anagrama do apelido de família do conselheiro, Navarro.

No que é uma prática não habitual para um conselheiro da Casa Branca, a personagem fictícia de Navarro, segundo o New York Times, estimou que Donald Trump poderia acalmar os investidores ao anunciar publicamente a sua retirada de um acordo com Pequim.

Tire o mercado [os investidores] da incerteza ao não anunciar QUALQUER acordo depois das eleições e aumente as tarifas alfandegárias até à vitória”, nas eleições presidenciais de 2020, escreveu numa nota, quando está prevista a entrada em vigor de novas tarifas alfandegárias no domingo.

O jornal não detalhou a quem é que a nota foi enviada.

O New York Times adiantou que Peter Navarro confirmou “a autenticidade da nota”, que foi enviada a partir de um endereço de correio eletrónico pertencente, alegadamente, a Ron Vara.

Em outubro último, uma universitária australiana revelou que revelou que Navarro tinha citado Ron Vara como perito mais de uma dezena de vezes em cinco dos seus 13 livros, nos quais fazia fortes críticas à China.

Outro meio, o Wall Street Journal, adiantou que Trump poderia anunciar o adiamento da aplicação de tarifas aduaneiras suplementares de 10% sobre cerca de 160 mil milhões de dólares (144 mil milhões de euros) de importações provenientes da China, como telemóveis e calçado desportivo.

/ BC