Donald Trump mobiliza este sábado a campanha no Estado da Pensilvânia a menos de quatro dias das eleições, iniciando o dia político com um comício numa propriedade privada de Newton, condado de Bucks.

"A Pensilvânia é importante para as eleições e vai ser um Estado importante na terça-feira", disse à Lusa Calvin Tucker, membro do Partido Republicano que se prepara para cantar o hino nacional ‘God Bless America’ perante algumas centenas de apoiantes de Trump que se inscreveram para o primeiro comício do dia no Estado da Pensilvânia.

 O Presidente dos Estados Unidos é esperado numa planície no meio numa urbanização de luxo rodeada de florestas, estando o comício marcado para as 12:00 locais (17:00 em Lisboa).

Trata-se do primeiro encontro com eleitores do Estado que, segundo as sondagens locais, o candidato democrata, Joe Biden, pode ganhar.

As sondagens conferem 51% dos votos a Biden e 44% a Trump.

O Estado da Pensilvânia elege 20 Grandes Eleitores e, por isso, é determinante para o resultado final no dia 03 de novembro, data da eleição presidencial.

"Eu espero uma campanha vigorosa do Presidente aqui na Pensilvânia, eu penso que ele vai ganhar a Pensilvânia. Há muito entusiasmo e o presidente vai saber captar esse entusiasmo", acentuou Calvin Tucker.

"Este Estado é determinante, não tanto como o Estado da Florida que tem 29 votos eleitorais. A Pensilvânia tem 20. O Presidente pode vencer as eleições sem a Pensilvânia mas este Estado é importante", acrescentou Calvin Tcker, afro-americano e um dos representantes da comunidade local ligado ao Partido Republicano.

Ao contrário de outras ações de campanha de Trump que geralmente decorrem em aeroportos, os participantes vão estar muito próximos do Presidente porque o palanque foi montado a menos de dois metros das cadeiras.

A maior parte dos membros do Partido Republicano usa máscara de proteção sanitária contra o covid-19 mas a distância social é ignorada pelos participantes.

Atrás do palco um enorme cartaz dá as "boas vindas" ao Presidente e uma enorme bandeira nacional foi hasteado num cabo erguido por um guindaste.

/ JGR